MONO


Mono é uma série infinita de imagens únicas que evidenciam uma teia de contradições: o que aparenta ser fruto de um gesto livre e expressivo é na realidade uma impressão criada através de um algorítmo.

Um osciloscópio digital recebe sons criados aleatoriamente e gera imagens, frames de uma representação visual do áudio. Ao tentar calcular o movimento entre esses diferentes frames o computador falha e esses glitches são as manchas que parecem borrões gestuais.

Este projeto é o desenvolvimento da pesquisa iniciada em um vídeo com o mesmo nome.